Frente Parlamentar abraça pauta da indústria offshore

Frente Parlamentar abraça pauta da indústria offshore
Como principal desdobramento da Audiência Pública realizada no último dia 16, a proposta de criação de uma Frente Parlamentar contra a nova medida tributária, adotada pelo governo do Estado sobre as operações do petróleo na Bacia de Campos, firma uma relação institucional importante entre a Câmara de Vereadores e a indústria offshore, necessária para a sobrevivência econômica e social do município.

Lançada durante a sessão ordinária da última quarta-feira (23), a proposta de criação da Frente Parlamentar nasce a partir do alerta apontado pelos representantes do Instituto Brasileiro do Petróleo (IBP) e da Associação Brasileira das Empresas do Petróleo (Abespetro) em relação à manobra adotada pelo governo do Estado com objetivo de elevar a arrecadação pública, sacrificando a indústria offshore.

"Taxar cada barril de petróleo produzido e aplicar imposto sobre a atividade de extração é decretar a falência da indústria offshore em Macaé e no Estado. Nós não podemos aceitar essa pressão que o Estado está fazendo sobre o setor responsável pela sustentabilidade econômica do nosso município. Como não há interesse político do governo municipal de enfrentar o governador, nós precisamos nos unir em prol do futuro da nossa cidade", apontou Maxwell Vaz (SDD), vereador que preside a Comissão Permanente de Desenvolvimento Econômico da Câmara de Vereadores.

A proposta de criação da Frente Parlamentar fortalece o posicionamento assumido pela indústria, através da sua representação pelo Sistema Firjan contra a proposta do governo do Estado. Desde que foi instituída, em dezembro do ano passado, a lei estadual que cria novas taxações para as operações do petróleo está sendo questionada pela cadeia offshore na justiça.

"Representamos a cidade que é o símbolo dessas operações no país. Precisamos assumir uma postura de defesa da indústria que gera emprego e divisas para a nossa cidade. Se o governo municipal não tem interesse de defender essa pauta, nós vamos nos posicionar através da proposta lançada por Maxwell", defendeu Chico Machado.

A Comissão de Desenvolvimento da Câmara pretende promover novos encontros com representantes da indústria para fortalecer pautas importantes para a cidade.
"Macaé precisa de porto, de aeroporto e de estradas. Nós precisamos pressionar o governo, com o objetivo de resolver essas pendências que irão custar o emprego de muitas pessoas e a sobrevivência do município", alertou Maxwell.
Números:
11 mil
Número de postos de trabalho fechados em Macaé durante o ano passado, segundo o Caged
30 mil
Homologações de demissões feitas apenas por um sindicato de profissionais do setor offshore

 

Autor: Márcio Siqueira marcio@odebateon.com.br

Foto: IVANA GRAVINA/ASSESSORIA CÃMARA



Mais notícias

- Câmara faz análise própria sobre citação do prefeito em planilhas da Operação Lava-Jato
- Oposição critica inércia do governo diante de pautas de interesse da indústria
- Câmara reage contra as declarações do prefeito
- Conselho fala sobre denúncia de desvio de verba na merenda escolar.
- Emendas Impositivas voltam à pauta de discussões na Câmara de Macaé